Mudamos de endereço
WWW.MARCOSBIKUDO.COM.BR

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Touch Wood e Xilofone gigante

Qual foi maior xilofone que você viu na vida? Pois então pense em um do tamanho de um bosque, ou melhor, que atravessa um bosque. Este comercial japonês foi rodado nos bosques de Kyushu, para promover o aparelho celular Touch Wood SH-08C da Sharp. Nele podemos ver e escutar a reprodução da Cantata sacra 147 de Johann Sebastian Bach com o passar de uma simples bolinha sobre uma grande estrutura ou pista de madeira, disposta como se fosse uma marimba, na qual cada repique da bolinha sobre os pequenos tacos de madeira fornece uma nota determinada.



Acredite se quiser. Mas os produtores do comercial garantem que tudo ai é real e que somente retocaram os níveis de ruído do ambiente para que a música pudesse se destacar com mais clareza.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

1ª Fase Finalizada

A 1ª fase do "Bar do Bikudo" foi finalizada e já está em casa, no seu devido lugar. Depois de muita lixa e seladora consegui finalizar o bar no penúltimo dia de marcenaria do ano. 


Levei primeiro as portas, prateleiras e o rodapé para casa, deixando o bar na marcenaria para secar a seladora que havia aplicado no sábado de manhã. Na segunda voltei para ver o resultado e achei que a seladora tinha ficado "grosseira" e mais uma vez "quebrei" a seladora com uma lixa 220 e com uma "boneca" de estopa apliquei novamente a seladora.

Dessa fez ficou bom e para que a seladora secasse logo, deixei o ventilador ligado apontando para o tampo, afinal queria levar o móvel para casa na própria segunda, e foi o que fiz. Cheguei em casa de noite e já montei o bar, colocando as prateleiras e portas.

Como não havia montado ele com as prateleiras ainda, tive uma surpresa não muito boa, a porta de trás estava pegando quando deslizava para o lado esquerdo. Acabei voltando na marcenaria na terça apenas para tirar 3 milímetros do fundo da prateleira. Agora a porta está correndo livre e o "Bar do Bikudo" já  está cheio de copos e garrafas!!!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Folheando

Pensei que teria mais trabalho na hora de folhear o "Bar do Bikudo", mas até que estou me saindo bem, semana passada trabalhei dois dias e foram suficientes para folhear as superfícies maiores. Essa semana estou trabalhando nos perfis e estou quase terminando.

Acho que o bar vai ficar pronto nos 45 do segundo tempo, pois tenho apenas mais uma semana de marcenaria esse ano. Então mão a obra para lixar e passar a seladora, ai sim terei "metade" do projeto finalizado. Só para lembrar, essa é apenas a parte de baixo do móvel!!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Voltando a ativa

Vou ter muito trabalho até o final do ano, afinal foram duas semanas fora (sensacionais por sinal) que terei que recuperar. A meta é terminar a parte de baixo do "Bar do Bikudo" antes que cheguem as férias da marcenaria.

O projeto está bem adiantado e essa semana já comecei a folhear o móvel, mas vamos retroceder um pouco e contar o que fiz antes, o martírio dos trilhos?!?! Como tinha previsto, realmente deu muito trabalho acertar as portas no trilho.


Encaixar foi fácil, o difícil foi fazer com que as portas deslizassem, sem ficar emperrando, só pra isso foram pelo menos umas 4 horas. Mas valeu o tempo gasto e as portas estão correndo "lindas, leves e soltas".


A parte de encaixar as portas nos trilhos foi feita apenas com a moldura, depois retirei os trilhos e para finalizá-las coloquei a almofada, lixei e passei seladora.


Passo seguinte, colocar as prateleiras. Decidi por colocar uma prateleira do lado esquerdo e duas do lado direito, assim posso colocar garrafas em pé de um lado e do outro, com mais prateleiras, colocar copos e acessórios do bar.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Voltando de férias....

Duas semanas de férias se passaram e estou retomando o projeto do bar e os posts no blog....  Mas bem que poderia ter pelo menos mais uma semaninha de descanso!!!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Onde estamos???

Esta difícil atualizar o blog e acabo me perdendo na linha do tempo de como anda o "Bar do Bikudo". No capitulo passado.... heheheh

Tinha terminado os entalhes para embutir os "Chapéus de Napoleão", pois é, de lá para cá já passei seladora nas molduras e cortei as almofadas das portas, e também passei seladora nas almofadas.

Bem, as últimas atualizações são com relação aos trilhos das portas. Já cortei os trilhos nos devidos tamanhos e fiz os furos para fixá-los no móvel, fixei apenas um trilho da parte de baixo e comecei a fixar o primeiro de cima, mas pelo jeito não será muito fácil.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Trabalhando nas portas

Semana passada o trabalho foi pesado, isso porque foquei apenas nas portas. Primeiro trabalho foi pinar as molduras para não ter perigo delas desmontarem.

Portas "pínadas", foi a vez de tirar os cantos das peças verticais que atrapalhariam a porta deslizar nos trilhos. Como os trilhos foram feitos nas peças horizontais, no momento que colei a peças verticais invadiram os trilhos, mas nada que serrote, formão, macete e lima não resolvessem.

Continuando, agora a parte que deu mais trabalho, entalhar o buraco onde vão encaixados os "chapéus de Napoleão". Lembrando que ele tem três alturas as serem embutidas na porta. Fiquei a quarta inteira para fazer apenas o primeiro entalhe, precisava fazer devagar pois o espaço é pequeno e caso colocasse um pouco de força além do necessário poderia rachar a porta. 
No final do dia deu tudo certo e voltei na quinta para fazer os outros três. Depois que você faz o trabalho uma vez, a outras ficam muito mais fáceis....  ainda bem! Ufa!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Deslisando

Assim que devem funcionar as portas do bar. Já comecei a trabalhar nelas e depois do processo com a prancha bruta - desempenadeira e desengrosso - cortei as peças para fazer as molduras das portas.

Os cantos das molduras das portas sserão em ângulo de 45º e em freijó maciço. Serão duas portas de correr na parte de baixo, uma sobrepondo a outra. Para as peças que ficarão na parte inferior e superior, antes de fazer o corte em ângulo, já fiz as canaletas onde encaixarão os trilhos.


Deixei as portas montadas e os próximos passos serão lixar, fazer o rebaixo para colocar a "almofada" das portas e estou querendo fazer um desenho na parte interna da moldura também, verei as possibilidades de fresas que tem a marcenaria. Assim posso usar a tupia para fazer os detalhes.


Ahhh, já estava esquecendo que terei que entalhar o buraco para colocar o "Chapéu de Napoleão", a peças que fará as portas correrem sobre os trilhos.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Já encaixado

Quarta trabalho no Bar do Bikudo, na quinta na Bancada do Jorge, e já com as peças parelhadas partimos para colar uma peça na outra. Depois de marcar a posição onde colocamos as cavilhas de vergalhão de ferro, na vertical com o esquadro e na horizontal com o graminho, usamos uma broca de aço rápido de 10mm para abrir os furos nas laterais.

Feito os furos, passamos cola nas cavilhas e fixamos com o martelo na peça que tem apenas um lado parelhado, depois colocamos a peça que tem os dois lados parelhados no chão e passamos cola em tudo. 


Como um dos lados da bancada vai ficar com a casca, não tinha posição para colocar sargentos para segurar as duas partes e fazê-las "chegarem". Então aproveitamos o peso da madeira, soltamos o lado que tem a casca em cima da outra peça, fomos levantando e soltando no chão até que uma peça chegasse na outra, e pronto. Próximo passo? Lixa, muita lixa!

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Voltando para maciça

Terminei a parte de baixo do bar que fiz com compensado e agora volto para o freijó maciço para fazer a moldura da porta. 

Sempre aprendendo novas técnicas, e nesse novo projeto farei as portas de correr. O sistema que escolhi é o mais tradicional, que é o Napoleão e comprei tudo em latão para durar mais, os trilhos também. Quero ver qual será o resultado do tom amarelado do latão com o freijó depois que passar a seladora.

Semana passada coloquei o fundo, e depois passei massa plástica para acertar as irregularidades do bar. Ainda falta lixar para retirar os excessos e depois folhear o móvel todo, mas isso apenas depois que as portas estiverem prontas.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Vaso da Heineken


Final de semana retrasado fui para casa dos meus pais e me deparei com um barrilzinho da Heineken logo que estacionei o carro, mas para minha decepção era o barril que matamos em outro final de semana.

Mas ai veio a ideia, porque não fazer um vaso com barril? Mãos a obra, primeiro tentei fazer um esquema "abridor de latas", mas a parte superior do barril é reforçada e não deu certo. Então a solução foi apelar para uma serrinha de ferro, cortei o tampo o barril e fui atrás de uma corrente para pendurá-lo.

Três furos na lateral do barril, mas cinco no fundo para a água em excesso poder escorrer. Coloquei uma muda de dinheiro em penca e muita terra e água. Ah, e a muda vingou.

Gostei do resultado, agora é só aumentar o consumo desses barris de chopp para fazer mais vasos. Que chato hein! hauhauah

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Meu primeiro notebook... de madeira

Muito legal essa ideia que encontrei no Design Spotter. O meu primeiro notebook é de madeira, e com uma lousa dentro, para que os "terríveis" exercitem a criatividade e coordenação motora.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Bancada do Jorge

Em paralelo ao "Bar do Bikudo" estou fazendo a "Bancada do Jorge" e na semana passada começamos a colocar a mão na massa. Temos aqui dois pedaços da "casca" da garapeira, ela chegou bruta e depois que o Jorge e a Silvinha decidiram como seria a bancada fizemos os devidos cortes.


Primeiro passamos um dos lados na desempenadeira para acertar a lateral que serviu para colocar na guia da serra de bancada, depois de cortar, passamos o lado do tampo na desempenadeira para deixar a face que ficará para cima mais lisa, pois ela estava cortada com moto serra e estava bem grosseira.

A segunda peça deu um pouco mais de trabalho, pois vamos deixar um dos lados da peça com a casca aparente. Como ela é toda irregular, traçamos uma linha com a régua e passamos a peça na serra de bancada. E depois voltamos até a desempenadeira para acertar as irregularidades, feito isso, desempenadeira novamente na parte do tampo e as duas peças estão prontas para serem unidas na semana que vem.

Fato interessante  foi que quando estávamos passando um dos lados de uma peça na desempenadeira, achamos um inseto incrustado, não sei se é uma mosca, uma abelha...  bem, alguém sabe o que inseto pode ser esse ai na foto?

Óculos de Madeira

Mais um design fazendo óculos de madeira. Achei esse trabalho do Jan Gunneweg muito loco.

Vale a pena conferir a sessão Lyfestyle projets no site, lá tem as bikes e até uma cadeira de rodas.

Achei ele navegando no Design de Móveis

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Semana da seladora

Fiquei apenas na parte de acabamento interno do bar. Já tinha passado três demãos de seladora na parte interna, prateleiras e fundo, então passei uma lixa fina (220) para quebrar um pouco a seladora e passei novamente a seladora para ficar bem lisinho.

Para semana que vem estou prevendo a montagem das molduras das portas, definir o mecanismos das portas. Para isso tenho que dar um pulo na Paes Lemes para ver os mecanismos e compra as pranchas de Freijó que usarei para fazer as molduras.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Nova aquisição

Estava procurando cadeiras coloridas para coloca na sala de jantar, andei em várias lojas, físicas e virtuais e não fiquei contente com nenhuma das opções até agora. Mas 10 dias atrás a Carla me mostrou uma foto de uma dessas revistas de decoração que tinha uma foto com uma mesa de jantar com 6 cadeiras, uma de cada cor, e gostamos da composição.

Fomos então até a Meu Móvel de Madeira para conhecer a cadeira "Lapa", gostamos do que vimos, mas não vou negar que comprar uma cadeira pela internet, sem tocar, experimentar, ver se é confortável estava me deixando com a pulga atrás da orelha.

Pois bem, compramos a azul para ver como realmente era a cadeira. Escolhi a opção de eu mesmo montar, com a economia de R$ 40,00, vale a pena colocar a mão massa, sendo que o trabalho é só apertar parafusos.

Dez dias depois a cadeira chegou, recebi a ligação da transportadora confirmando a data da entrega. Cheguei e casa de noite e mãos a obra. O manual é bem simples, mas com desenhos completos, gostei muito das explicações.

Gostei da qualidade do material, mas os parafusos poderiam ser de aço, pois um quebrou na hora do aperto, as peças em arco não tinham o furos de guia, então tive que medir bem para não ficar "fora de esquadro". No final, achei muito bom o custo benefício, não sei como são os acabamentos de outros móveis, a cadeira Lapa, eu recomendo, agora é esperar chegar a mesa nova e ver como fica a composição.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Dia da Árvore

No hemisfério sul, o dia 21 de Setembro prenuncia a chegada da primavera, no dia 23, estação onde a natureza parece recuperar toda a vida que estava adormecida pelos dias frios de inverno.

No Brasil, carregamos fortes laços com a cultura indígena que deu origem a este país; um deles é o amor e respeito pelas árvores como representantes maiores da imensa riqueza natural que possuímos. Os índios também utilizavam este período para iniciar a época de plantio, organizando-se pelo calendário lunar. 

Confirmando o carinho e respeito pela natureza, no Brasil, em 24 de fevereiro de 1965, formalizou-se o dia 21 de Setembro como o Dia da Árvore - o dia que marca um novo ciclo para o meio ambiente.

Para comemorar esse dia, segue uma matéria do UOL com algumas árvores centenárias de São Paulo.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

FICHA TÉCNICA: Freijó

Nome Científico: Cordia goeldinana Huber

Família: Boraginaceae

Nome Comercial BRASIL: freijó, frei-jorge, freijó-branco, freijó-preto, freijó-rajado, freijó-verdadeiro, louro-freijó.

Origem:Na Guiana Francesa e no Brasil, na floresta amazônica, em regiões de matas altas de terra firme, com maior ocorrência no estado do Pará, encontra-se também nos estados do Acre, do Amapá, de Rondônia, do Maranhão, do Tocantins e do Mato Grosso.

Habitat: Árvore de tronco reto, cilíndrico, com altura comercial de 7 a 26 m e diâmetro variando de 45 a 61 cm. Em áreas de ótimo crescimento pode atingir até 90 cm de diâmetro e 40 m de altura.

Características Morfológicas:Árvore de tronco reto, cilíndrico, com altura comercial de 7 a 26 m e diâmetro variando de 45 a 61 cm. Em áreas de ótimo crescimento pode atingir até 90 cm de diâmetro e 40 m de altura.

Características Gerais: Cerne de coloração pardo-amarelada ou até pardo claro acastanhado, uniforme ou com listas mais escuras bem esmaecidas e paralelas, raramente exibindo tonalidade rósea. O alburno é pardacento ou branco-acinzentado, com espessura variando de 1,5 a 5,0 cm. Textura média, grã geralmente direita, superfície lustrosa e moderadamente áspera ao tato.
Grã: Direita a cruzada revessa
Textura: Média
Cheiro: imperceptível
Gosto: imperceptível

Secagem: ao ar é boa com pouca ocorrência de defeitos, mas com tendência ao aparecimento de rachas de topo. E em estufa é muito rápida podendo ocorrer rachaduras e encanoamento moderados e forte endurecimento superficial, devendo-se seguir um programa de variação de temperaturas com escalonamento para perda de umidade.

Durabilidade: apresenta durabilidade moderada ao ataque de organismos xilófagos (fungos e insetos), entretanto apresenta baixa resistência ao ataque de cupins. A durabilidade desta madeira é inferior a 12 anos de serviço em contato com o solo.

Usos: Paisagismo: Arborização Urbana: praças e parques

Construção Civil: Leve em esquadrias: portas, venezianas, caixilhos; Leve interna estrutural: ripas, caibros; Leve interna, decorativa: lambris, painéis, molduras, guarnições, forros.

Mobiliário: Alta qualidade: móveis finos e decorativos.

Outros usos: Folhas faqueadas decorativas, laterais de escadas, degraus de escadas extensíveis, artigos de esportes e brinquedos, instrumentos musicais ou parte deles, moldes, peças torneadas, adornos e outros objetos de decoração, hélices e estruturas aeronáuticas, tanto de aeronaves experimentais (substituindo a sitka e o "spruce" comum nos EUA) como reposição de componentes de aeronaves antigas. Seu uso aeronáutico é homologado pelo CPT. Algumas aeronaves tradicionais brasileiras como o paulistinha têm largo emprego de freijó em sua estrutura.